A BHTrans negou, nesta quarta-feira, a existência de uma “indústria da multa” na capital mineira. No entanto, a empresa que gerencia o trânsito na cidade admitiu que “pegou mal” um ranking com a avalição dos agentes que levava em consideração o número de multas aplicadas individualmente pelos fiscais.

A BHTrans admitiu, também, que existe um esforço conjunto às quartas-feiras, quando os agentes e servidores administrativos vão para as ruas para reforçar a fiscalização. O sindicato dos agentes denunciou, nesta semana, a “quarta-feira” maluca, quando os fiscais seriam incentivados a aumentar o número de infrações em estacionamentos rotativos para obter benefícios.

“É uma mentira, uma falácia essa história de indústria da multa”, queixou-se o presidente da BHTrans, Ricardo Mendanha (foto). Segundo ele, os 545 agentes credenciados emitiram 287.791 autos de infração em 2007. “Se fizermos as contas, cada agente aplicou, em média, 44 multas por mês, ou seja, cerca de duas multas por dia”, afirma.

Na última sexta-feira, o Ministério Público Estadual confirmou que vai investigar as denúncias sobre benefícios que a BHTrans supostamente concede ao agente que consegue multar mais motoristas no estacionamento rotativo.